Dec 28 / Lívea Coda

Relatório Mensal Açúcar - 2023 12 28

🠔 Voltar para página principal do blog
"Os preços derreteram como resultado da recente mudança nos fundamentos. O Brasil provou que pagar o suficiente leva a grandes investimentos e à expansão da capacidade, enquanto a demanda pode ser mais cautelosa do que em anos anteriores. Como resultado, o déficit dos fluxos comerciais não parece tão profundo como se esperava, sendo facilmente resolvido através da sazonalidade das importações, especialmente porque o mercado espera mais um ano de excelentes resultados no Centro-Sul durante 24/25. "

Balanço Global de Açúcar e Fluxo Comercial

Os preços derreteram como resultado da recente mudança nos fundamentos. O Brasil provou que pagar o suficiente leva a grandes investimentos e à expansão da capacidade, enquanto a demanda pode ser mais cautelosa do que em anos anteriores.

Como resultado, o déficit dos fluxos comerciais não parece tão profundo como se esperava, sendo facilmente resolvido através da sazonalidade das importações, especialmente porque o mercado espera mais um ano de excelentes resultados no Centro-Sul durante 24/25.

É claro que o clima continuará a ser uma fonte de volatilidade, uma vez que o recente calor vivenciado no Brasil pode ter impacto no desenvolvimento da cana. No entanto, a conversão para uma condição ENSO neutra em meados de 2024 também permite algum otimismo em relação à temporada 24/25 do Hemisfério Norte - sim, ainda é cedo para qualquer afirmação.

Ainda assim, parece que estamos nos afastando de cenários de extrema escassez. A maior disponibilidade futura garante uma curva invertida, enquanto uma possível maior participação do Brasil em 24/25 induz um pequeno carry entre outubro 24 e março 25.
Figura 1: Fluxo Comercial Total ('000t)
Figura 2: Fluxo Comercial de Açúcar Bruto ('000t)

Fonte: hEDGEpoint

Fonte: hEDGEpoint

Figura 3: Fluxo Comercial de Açúcar Branco ('000t)
Figura 4: Balanço Global de Açúcar (MT RV out-set)

Fonte: hEDGEpoint

Fonte: hEDGEpoint

Brasil CS

Figura 5: Balanço de Açúcar - Brasil CS (Mt abr-mar)

Fonte: Unica, MAPA, SECEX, hEDGEpoint

O Centro-Sul não para de surpreender com excelentes resultados. Com cerca de 640Mt moídas e 41,7Mt de açúcar produzidas, a região já atingiu novos recordes na primeira quinzena de dezembro. 
Se o clima cooperar, a região manterá um bom ritmo e reduzirá o possível volume de cana bisada, impactando a disponibilidade adicional para 24/25.

O colapso do bruto reflete a precificação pelo mercado dos resultados do Centro-Sul e das perspectivas positivas para 24/25. É claro que o clima desempenha um papel importante na moagem e no desenvolvimento da cana, e observá-lo de perto tornou-se uma obrigação, especialmente devido às altas temperaturas recentes.

Figura 6: Exportações Totais - Brasil CS ('000t) 

Fonte: SECEX, Williams, hEDGEpoint

Figura 7: Estoque - Brasil CS ('000t)

Fonte: Unica,MAPA, SECEX, Williams, hEDGEpoint

Brasil CS Etanol

Figura 8: Ciclo Otto - Brasil (M m³)

Fonte: ANP, Bloomberg, hEDGEpoint

Dados da ANP mostram que o crescimento da demanda é mais fraco do que o previsto anteriormente. Os números do Ciclo Otto de outubro atingiram o mesmo nível de 22/23, reduzindo as estimativas de crescimento anual para 4,6%.
Embora as vendas para o mercado interno tenham melhorado durante a primeira quinzena de dezembro, a diferença entre produção e consumo persiste, significando formação de estoques na região e preços mais baixos.

Em termos de paridade na bomba, o hidratado continua a ser a opção mais barata na maior parte do Centro-Sul

Figura 9: Estoque Final de Anidro - Brasil CS ('000 m³) 

Fonte: Unica, MAPA, ANP, SECEX, hEDGEpoint

Figura 10: Estoque Final de Hidratado - Brasil CS ('000 m³) 

Fonte: Unica, MAPA, ANP, SECEX, hEDGEpoint

Brasil NNE

Figura 11: Balanço de Açúcar - Brasil NNE (Mt abr-mar)

Fonte: MAPA, SECEX, hEDGEpoint

Entre abril e novembro de 2023, o NNE produziu 1,85Mt de açúcar. 
Isto significa um aumento de 12,2% em relação ao ano anterior, impulsionado pelo aumento da disponibilidade de cana, estimada em cerca de 63Mt, e um mix de açúcar mais alto. Até o final de março, a produção total de açúcar deverá atingir 3,6Mt.

Embora chuvas possam ser benéficas para o desenvolvimento da cana, a região ainda está extremamente ativa, saindo de seu pico de safra. Assim, maiores ocorrências de chuvas podem perturbar seu ritmo.

Figura 12: Exportações Totais - Brasil NNE ('000t)

Fonte: SECEX, hEDGEpoint

Índia

Figura 13: Balanço de Açúcar - Índia (Mt out-set) 

Fonte: ISMA,AISTA, hEDGEpoint

A decisão do governo da Índia de restringir a produção de etanol através do melaço B e do caldo de cana-de-açúcar a 1,7 B de litros está em linha com as expectativas de não exportação: o país está decidido a dar prioridade ao reabastecimento de açúcar.
Elevando nossa produção total para quase 32Mt, os estoques deverão atingir 6,7Mt em 23/24, ainda abaixo do nível de consumo de 3 meses.

Enquanto isso, a temporada 23/24 começou. Algumas regiões antes e outras depois, mas um total de 7,4Mt de cana foram moídas pelo país até 15 de dezembro. Isso representa uma queda de 10,7% em relação a 22/23, com a mesma quantidade de usinas em operação.

Figura 14: Exportações Totais - Índia ('000t exc. Refinarias Costeiras)

Fonte: ISMA,AISTA, hEDGEpoint

Tailândia

Figura 15: Balanço de Açúcar - Tailândia (Mt dez-nov) 

Fonte: Thai Sgar Millers, Sugarzone, hEDGEpoint

A safra 22/23 chegou ao fim e o país atingiu 11,1Mt de açúcar produzido e 7,37Mt de exportação. Estes foram excelentes resultados em comparação com os últimos anos.
As usinas da Tailândia iniciaram a temporada 23/24 por volta de 10 de dezembro, cerca de dez dias em atraso quando comparado à temporada 22/23.
Até o dia 16 de dezembro, o país produziu 192,7kt. No mesmo período de 22/23, a Tailândia já tinha produzido 397kt, o que significa uma queda anual de quase 50%.

Figura 16: Exportações Totais Tailândia ('000t)

Fonte: Thai Sgar Millers, hEDGEpoint

UE 27 e Reino Unido

Figura 17: Balanço de Açúcar - UE27+RU (Mt out-set)

Fonte: EC, Greenpool, hEDGEpoint

Embora não tenhamos alterado as nossas estimativas de colheita 23/24, de acordo com o último relatório da Comissão Europeia, há uma pressão sobre a disponibilidade do Velho Continente.
A safra 23/24 não tem sido fácil. A qualidade da beterraba foi afetada pela falta de luz solar durante o seu desenvolvimento, plantio tardio e fortes chuvas. Se não bastasse, dezembro foi particularmente frio em algumas regiões, como na Alemanha.

A extensão do seu impacto ainda não é clara, especialmente tendo em conta a recente melhoria do clima, mas poderá significar uma redução na próxima revisão.

México

Figura 18: Balanço de Açúcar - México (Mt out-set) 

Fonte: Conadesuca, Greenpool, hEDGEpoint

A colheita começou em outubro e, até o momento, foram esmagadas 3,3Mt de cana, cerca de 155kt a mais que em 22/23, mas com grande queda na produtividade. 
Enquanto o rendimento acumulado de cana no mesmo período da safra passada atingiu 78,5 t/ha, em 23/24 esta medida caiu para 73,9 t/ha, induzindo uma produção de açúcar já menor, apesar de ter moído um maior volume da matéria-prima.

Foram produzidos 264,2kt do adoçante e, até novembro, foram exportados apenas 19kt, ante quase 33kt na temporada passada e mais de 100kt em 21/22.

Figura 19: Exportações totais - México ('000t)

Fonte: Conadesuca, Greenpool, hEDGEpoint

EUA

Figura 20: Balanço de Açúcar -EUA (Mt out-set) 

Fonte: USDA, hEDGEpoint

Continuamos mais pessimistas que o USDA em relação à Louisiana, mantendo nossa estimativa de produção estável em 8Mt para 23/24.
Em 30 de novembro, o Representante de Comércio dos EUA (USTR) anunciou a realocação da cota tarifária (TRQ) de açúcar bruto de 224 kt, devido à seca que afetou sua região produtora de cana e às restrições de disponibilidade do México. O volume foi distribuído entre alguns países. Dentre eles, o NNE brasileiro recebeu 53 kt adicionais, a Austrália 30 kt e a Guatemala 17 kt.

Guatemala

Figura 21: Balanço de Açúcar - Guatemala (MT out-set)

Fonte: Cengicaña, Sieca, Azucar.gt,Greenpool, hEDGEpoint

Mantivemos nossa expectativa de produção inalterada em 2,44 milhões de toneladas - uma redução de 3% em relação a 22/23.
A temporada começou no início de novembro e durante suas 6 primeiras semanas de moagem a safra já mostra sinais de estresse. A produção total de açúcar atingiu apenas 387kt, segundo a CENGICAÑA, 9% inferior ao mesmo período do ano passado e 19% abaixo de 21/22.

Figura 22: Exportações Totais - Guatemala ('000t) 

Fonte: Sieca

Rússia

Figura 24: Balanço de Açúcar - Rússia (Mt set-out)

Fonte: Ikar, Sugar.ru, Greenpool, hEDGEpoint

De acordo com o Ministério da Agricultura da Rússia, a colheita final de beterraba sacarina foi de 52,2 Mt. 
Isto permite a produção de 7 Mt de açúcar nesta safra, 23/24, atendendo às necessidades do país e formando um bom estoque de passagem para a próxima safra. O volume também garante o aumento das exportações da Rússia para países parceiros.

Até 18 de dezembro, a Rússia processou quase 40Mt de beterraba e produziu cerca de 5,5Mt de açúcar. O clima mais quente aumenta a possibilidade de atingir 7Mt.

China

Figura 25: Balanço de Açúcar - China (Mt out-set)

Fonte:GSMN, CSA, Refinitiv, Greenpool, hEDGEpoint

Obs: os estoques consideram volume parado na alfândega e os volumes de importação totais (açúcar, xarope e contrabando estimado)

A China produziu 890kt até ao final de novembro, um aumento de 5% face ao mesmo período de 22/23. Esta tendência está alinhada com a expectativa de recuperação, tornando viável a produção de 10Mt.
Em termos de importações, embora com uma paridade fechada, o país expandiu em 9%, atingindo 1,36 milhão de toneladas importadas em 23/24. Revisamos nosso volume total importado para 4Mt (excluindo xarope e contrabando).

No entanto, esse volume ainda é inferior aos anos anteriores, quando a paridade era bastante aberta. Esperamos que o ritmo de importação desacelere durante o pico da safra.

Figura 26: Importações Totais - China ('000t exc. contrabando e xarope) 

Fonte: GSMM, hEDGEpoint

Figura 27: Produção Total - China ('000t)

Fonte: CSA, Refinitiv, Greenpool, hEDGEpoint

Inteligência de Mercado - Açúcar e Etanol

Escrito por Lívea Coda
[email protected]

Revisado por Natália Gandolphi
[email protected]

Mesa de Açúcar e Etanol

Murilo Mello
[email protected]

Vipul Bhandari
[email protected]

Gabriel Oliveira
[email protected]

Etori Veronezi
[email protected]

www.hedgepointglobal.com

Aviso legal

Este documento foi preparado pela hEDGEpoint Global Markets LLC e suas afiliadas (‘HPGM”) de forma exclusiva para fins informativos e instrutivos, sem a finalidade de instituir obrigações ou compromisso com terceiros, bem como, não pretende promover oferta, ou solicitação de oferta, de venda ou compra relativos a quaisquer valores mobiliários ou produtos de investimento. A HPGM e seus associados se eximem expressamente de qualquer uso das informações aqui contidas, que derivem prejuízos ou danos de forma direta ou indireta de qualquer espécie. Em caso de dúvidas não resolvidas na primeira instância de contato com o cliente ([email protected]), entre em contato com nosso canal interno de ouvidoria ([email protected]) ou 0800-878-8408 (somente para clientes no Brasil).

Para acessar esse relatório, você precisa ser um assinante.