Feb 9 / Natália Gandolphi

Relatório Semanal de Café - 2024 02 09

🠔 Voltar para página principal do blog
  • O El Niño impactou as regiões produtoras de café no Brasil no quarto trimestre de 2023, causando temperaturas sem precedentes e chuvas irregulares, aumentando a incerteza em relação à produção da safra 24/25.

  • No Sul de Minas Gerais, as temperaturas recordes persistiram mesmo com a diminuição do El Niño no início de 2024, apresentando desafios contínuos para o cultivo de café. Ainda assim, as reservas de água ajudaram a manter os níveis médios no final do ano.

  • O Cerrado enfrentou baixas chuvas e temperaturas elevadas em 2023. Com o início de 2024, o otimismo diminuiu, uma vez que os níveis acumulados de chuva foram relatados como 30% abaixo do normal, estabelecendo um tom menos otimista para o próximo ciclo de colheita.

  • Espírito Santo, fortemente impactado pelo El Niño, enfrentou altas temperaturas e registros mínimos de chuva acumulada até o final de 2023. As preocupações para 2024 estão centradas nos baixos níveis de chuva, podendo prejudicar a safra de conilon 24/25, apesar de uma leve melhoria no início de 2024.

Impactos Recentes do El Niño no Brasil

O mercado de café enfrentou anomalias climáticas no último trimestre de 2023, largamente influenciadas pelo padrão El Niño que dominou as principais regiões produtoras de café no Brasil. Temperaturas sem precedentes e chuvas irregulares caracterizaram esse período, impactando a produção e criando um efeito cascata no mercado de café.

No Sul de Minas Gerais, as temperaturas atingiram níveis recordes, alterando os padrões climáticos usuais. Apesar do padrão El Niño diminuir no início de 2024, as temperaturas permaneceram acima da média, representando um desafio contínuo para o cultivo de café. As reservas hídricas construídas em 2023 ajudaram a amenizar o impacto da menor precipitação em novembro e dezembro, mantendo níveis médios no final do ano. No entanto, as perspectivas para 2024 são incertas, com os níveis de chuva atualmente relatados abaixo da média, aumentando a pressão em uma situação já vulnerável.

O Cerrado enfrentou um conjunto diferente de desafios, experimentando chuvas consistentemente mais baixas ao longo do ano. No último trimestre, os volumes acumulados de chuva já estavam abaixo dos registrados em 2021. Aliado a temperaturas em um nível mais alto em uma década, a região enfrentou uma pressão crescente na produção de café. Com o início do novo ano, o otimismo fica escasso, com os níveis acumulados de chuva relatados como sendo 30% abaixo do normal, estabelecendo um tom menos otimista para o próximo ciclo de colheita em comparação com o período pós-florada.

Figura 1: Precipitação Acumulada (mm) - Sul de Minas Gerais
Figura 2: Precipitação Acumulada (mm) - Cerrado

Fonte: USDA

Fonte: USDA

A proximidade com o Espírito Santo expôs a ZMT ao impacto do El Niño, com chuvas consistentemente abaixo da média no último trimestre de 2023. Embora a região tenha passado por um período mais curto de temperaturas extremas, as preocupações para 2024 giram principalmente em torno dos baixos níveis de chuva, apesar de uma diminuição nas temperaturas. Essas condições podem dificultar a superação do recorde estabelecido nas safras anteriores.

O Espírito Santo suportou o peso do El Niño durante o último trimestre de 2023, com temperaturas persistentemente altas em janeiro agravando a situação. Os números recordes de chuva acumulada até o final de 2023 lançaram uma sombra sobre a safra de conilon do Brasil em 24/25, apesar de uma leve melhoria no início de 2024.

Apesar dos diferentes perfis de produção nas regiões, os níveis acumulados de chuva em 2023 compensaram parcialmente o impacto das chuvas mais baixas no quarto trimestre, resultando em uma situação geral média no final do ano. No entanto, a atenção agora se volta para 2024, onde os níveis de chuva em janeiro permaneceram abaixo da média, ecoando os desafios enfrentados em 2021.

Figura 3: Precipitação Acumulada (mm) - Zona da Mata
Figura 4: Precipitação Acumulada (mm) - Espírito Santo

Fonte: USDA

Fonte: USDA

Em resumo

À medida que a indústria enfrenta esses desafios induzidos pelo clima, o mercado é caracterizado por pontos tanto otimistas quanto pessimistas. As condições quentes e secas no Brasil durante o quarto trimestre de 2023, a possível redução na produção, assim como alguns indicadores de demanda analisados em nossos relatórios anteriores, contribuem para um sentimento otimista. No entanto, a safra 24/25 no Brasil pode surpreender positivamente, de acordo com os padrões de chuva em cada região ao longo do ano, e a recente recuperação nas primeiras semanas de janeiro.

Relatório Semanal — Café

Escrito por Natália Gandolphi
[email protected]

Revisado por Lívea Coda

[email protected]

www.hedgepointglobal.com

Aviso legal

Este documento foi preparado pela hEDGEpoint Global Markets LLC e suas afiliadas (‘HPGM”) de forma exclusiva para fins informativos e instrutivos, sem a finalidade de instituir obrigações ou compromisso com terceiros, bem como, não pretende promover oferta, ou solicitação de oferta, de venda ou compra relativos a quaisquer valores mobiliários ou produtos de investimento. A HPGM e seus associados se eximem expressamente de qualquer uso das informações aqui contidas, que derivem prejuízos ou danos de forma direta ou indireta de qualquer espécie. Em caso de dúvidas não resolvidas na primeira instância de contato com o cliente ([email protected]), entre em contato com nosso canal interno de ouvidoria ([email protected]) ou 0800-878-8408 (somente para clientes no Brasil).

Para acessar esse relatório, você precisa ser um assinante.