Jan 15 / Alef Dias

Relatório Semanal Macroeconomia - 2024 01 15

🠔 Voltar para página principal do blog

Dados recentes dão suporte à Rupia Indiana

  • Em 2023, a Rupia Indiana registrou um desempenho desfavorável, principalmente devido a um diferencial de taxas de juros historicamente baixo frente os Estados Unidos.
  • Apesar disso, a economia indiana tem evidenciado uma notável trajetória de expansão, alimentando perspectivas otimistas a longo prazo.
  • Adicionalmente, dados recentes também ensejam um cenário mais positivo para a moeda indiana no curto prazo. A inflação indiana acelerou para 5.7% a.a. contra 5.6% em Novembro, o que deve fazer com que o RBI inicie seu ciclo de corte de juros mais tarde do que o Fed.
  • A redução dos déficits na balança comercial também devem fortalecer a Rupia no curto prazo. O déficit comercial da Índia diminuiu pelo segundo mês em dezembro, depois de atingir um recorde em outubro.

Introdução

A Rupia Indiana teve uma performance negativa em 2023, muito por conta de um diferencial de juros historicamente baixo frente os EUA. Contudo, a economia indiana tem mostrado uma tendência robusta de crescimento, o que enseja um otimismo de longo prazo, e dados recentes também apontam para um maior suporte à moeda em indiana no curto prazo.


Figura 1: Rupia Indiana e DXY

Fonte: Refinitiv

Aceleração da inflação está longe de ser preocupante e deve fortalecer diferencial de juros no curto prazo

A inflação indiana acelerou para 5.7% a.a. contra 5.6% em novembro. O aumento deveu-se à maior inflação de alimentos, especialmente de vegetais. Uma base mais baixa em relação ao ano anterior e a escassez de cebolas e tomates, devido às chuvas fora de época, aumentaram a inflação dos vegetais. É provável que esses ganhos sejam revertidos em janeiro em meio a uma oferta maior.

Houve uma queda generalizada nos componentes do núcleo da inflação, que diminuiu ainda mais, passando de 4,5% em novembro para 4,3%. Isso ajudou a evitar um aumento maior na inflação geral. Outra medida do núcleo da inflação, que inclui combustíveis de transporte e é monitorada pelo RBI (banco central indiano), também desacelerou - caiu para 3,9%, de 4,1% em novembro.

Um declínio sustentado no núcleo da inflação no último ano sugere que a política monetária restritiva do banco central está ajudando a conter as pressões induzidas pela demanda. Os preços mais baixos das commodities e a queda nos custos de logística e insumos comerciais também estão reduzindo o núcleo da leitura. Em uma base trimestral, a inflação principal diminuiu para 5,4% no 4T23, de 6,4% no 3T23.

Uma divulgação de dados separada mostrou que o crescimento da produção industrial desacelerou para 2,4% na comparação anual em novembro, em relação aos 11,6% revisados para baixo em outubro (11,7%, anteriormente). Esse resultado ficou abaixo da estimativa de consenso de 3,5%. A forte desaceleração deveu-se às distorções sazonais e aos efeitos de base do momento dos feriados festivos. Em 2023, os feriados ocorreram em novembro, reduzindo o número de dias úteis. Em 2022, esses feriados foram em outubro.

É improvável que isso seja uma grande preocupação para o banco central, já que o crescimento do PIB tem surpreendido positivamente. A estimativa antecipada do governo sobre o crescimento do PIB para o ano que termina em março é de 7,3%. Isso superou tanto a estimativa do RBI de 7% quanto a estimativa de consenso de 6,6%.

Como o foco atual do RBI está mais alinhado com a redução da inflação para a meta de médio prazo de 4%, os formuladores de políticas provavelmente manterão o status quo em fevereiro, mantendo uma postura restritiva da política monetária.
Figura 2: Inflação - Índia (%, a.a.)

Fonte: Bloomberg

Figura 3: Yields 10 anos

Fonte: Refinitiv

Balança comercial também deve dar suporte à Rupia

O déficit comercial da Índia diminuiu pelo segundo mês consecutivo em dezembro, após atingir um recorde em outubro. O déficit caiu para US$ 19,8 bilhões, comparado aos US$ 20,6 bilhões em novembro e US$ 31,5 bilhões no mês anterior.

É provável que o foco do governo na manufatura continue a incentivar mais produção doméstica. Isso deve significar menos importações, se tudo estiver igual. Mas o crescimento econômico mais rápido levará a mais compras no exterior, de modo geral. Enquanto isso, é provável que uma desaceleração global pese sobre as exportações. Um déficit comercial que permaneça próximo ao modesto nível atual, juntamente com fluxos de investimento positivos, deve trazer estabilidade à rúpia neste trimestre.

Figura 4: Déficit balança comercial – Índia (USD bi)

Fonte: Refinitiv

Em Resumo

A Rupia Indiana teve uma performance negativa em 2023, muito por conta de um diferencial de juros historicamente baixo comparado aos EUA. Contudo, a economia indiana tem mostrado uma tendência robusta de crescimento, o que enseja um otimismo de longo prazo.

Adicionalmente, dados recentes também ensejam um cenário mais positivo para a moeda indiana no curto prazo. A recente aceleração da inflação deve fazer com que o RBI inicie seu ciclo de corte de juros mais tarde do que o Fed, elevando o diferencial de rendimentos nos títulos dos dois países. A redução dos déficits na balança comercial também devem fortalecer a Rupia no curto prazo.

Relatório Semanal — Macro

Escrito por Alef Dias
[email protected]

Revisado por Victor Arduin
[email protected]

www.hedgepointglobal.com

Aviso legal

Este documento foi preparado pela hEDGEpoint Global Markets LLC e suas afiliadas (‘HPGM”) de forma exclusiva para fins informativos e instrutivos, sem a finalidade de instituir obrigações ou compromisso com terceiros, bem como, não pretende promover oferta, ou solicitação de oferta, de venda ou compra relativos a quaisquer valores mobiliários ou produtos de investimento.

A HPGM não atua como Consultor/Assessor de Negociação de Commodities oferecendo negociação personalizada ou consultoria de investimento aos clientes. Os clientes devem confiar em seu próprio julgamento independente e em consultores/assessores externos antes de entrar em qualquer transação introduzida pela empresa.

A HPGM e seus associados se eximem expressamente de qualquer uso das informações aqui contidas, que derivem prejuízos ou danos de forma direta ou indireta de qualquer espécie. Em caso de dúvidas não resolvidas na primeira instância de contato com o cliente ([email protected]), entre em contato com nosso canal interno de ouvidoria ([email protected]) ou 0800-878-8408/[email protected] (somente para clientes no Brasil).


Para acessar esse relatório, você precisa ser um assinante.